×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 173

HUG COMUNICAÇÃO

Comunicação da forma certa para você chegar mais perto de seus objetivos!

  • Início
    Início This is where you can find all the blog posts throughout the site.
  • Categorias
    Categorias Displays a list of categories from this blog.
  • Tags
    Tags Displays a list of tags that have been used in the blog.
  • Bloggers
    Bloggers Search for your favorite blogger from this site.
  • Team Blogs
    Team Blogs Find your favorite team blogs here.
  • Login
    Login Login form
Recent blog posts

Posted Por em in Uncategorized

*Por Thamiris Rezende

Com o aumento da concorrência, as empresas e profissionais têm buscado novos caminhos para se destacarem e tornarem-se autoridade nos assuntos que permeiam seus segmentos de atuação.

De acordo com a pesquisa da Global Entrepreneurship Monitor, patrocinada pelo Sebrae e realizada em 2015, cerca de quatro em cada dez brasileiros adultos já possuem um negócio ou estão envolvidos na criação de uma empresa. No ano passado, a taxa de empreendedorismo foi 39,3%, o que representa o maior índice dos últimos 14 anos.

Com as redes sociais, as barreiras físicas foram quebradas e os profissionais de áreas correlacionadas estão constantemente em contato, promovendo troca de experiências e informações, o que também capacita melhor o cliente no momento da contratação de um serviço.

Além de gerar esta amplitude de conhecimento, as mídias sociais, principalmente o Linkedin, também deram potencial de voz a profissionais e têm colocado em destaque diferentes especialistas nos assuntos mais diversos, por isso, atualmente, gerar conteúdos relevantes e informativos é uma obrigação para quem deseja estar à frente da concorrência.

A assessoria de imprensa é uma ferramenta da comunicação que auxilia profissionais e marcas na busca da construção da autoridade dentro do mercado de atuação com o desafio de transformar a informação do assessorado em notícia.

Veja como a assessoria de imprensa auxilia na construção de imagem sólida e autoridade de uma marca ou profissional:

  • Posicionamento: a primeira ação de uma assessoria de imprensa é alinhar com a marca ou profissional qual é a imagem que esta/este deseja transparecer para o segmento de atuação e público-alvo.
  • Definição de público-alvo: apesar de parecer óbvio, nem sempre a marca ou profissional tem total conhecimento sobre quais públicos deseja impactar, para isso a assessoria de imprensa faz uma análise com base nos objetivos da marca e determina ações especificas para cada tipo de publico
  • Criação de conteúdo: gerar conteúdo relevante é primordial para marca ou o profissional que deseja ser visto como autoridade em determinado assunto, para isso a assessoria de imprensa atua em todo processo de criação de artigos opinativos selecionando o que é ou não interessante para a imprensa nacional e consequentemente para os leitores;
  • Visibilidade na imprensa: ao determinar o público e gerar conteúdo relevante, a assessoria insere a marca ou profissional na área editorial dos veículos de comunicação por fim posicionando-os como especialistas no assunto abordado em cada matéria.

Para ser lembrado é preciso estar sempre em evidência e não adianta ser visto a qualquer custo, o ideal é ser enxergado de forma positiva ou como aquele profissional que está escasso no mercado.

A notoriedade é consequência de um trabalho estruturado e estratégico.

*Thamiris Rezende é jornalista, assessora de imprensa, especialista em gerenciamento de mídias sociais e diretora de comunicação da agência HUG Comunicação Corporativa

0

Posted Por em in Uncategorized

*Por Thamiris Rezende

No dia 11 de janeiro foi divulgado o Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações, que aponta crescimento de 7,3% do número de pedidos de falência em 2015. As micro e pequenas empresas lideraram o número de falências decretadas no ano passado com 580 de um total de 829.

De fato 2015 foi um ano desafiador para todo o mercado brasileiro e marcado pelo crescimento da inflação, alta do dólar, aumento do desemprego e baixa do consumo nas datas sazonais, consideradas primordiais para o varejo.

O que mais chama a atenção é a fragilidade das micro e pequenas empresas diante de cenários desafiadores e a prova disso são os números de falências decretadas pelos MPEs apresentados pelo Indicador da Serasa Experian.

O objetivo não é aprofundar a discussão nas questões administrativas de uma empresa e sim promover uma reflexão sobre a trajetória e possibilidades de encarar a crise de forma inovadora e estratégica.

Se o marketing já era importante antes, hoje é essencial para as empresas que desejam destacar-se e ganhar notoriedade dentro do competitivo mercado brasileiro.

De acordo com uma pesquisa da ComScore, o Brasil conta com 45% da população online que consome conteúdo via computador e dispositivos portáteis, como celulares e tablets. Além disso, o país é líder no tempo gasto nas redes sociais com média de 60% a mais que restante do planeta, são cerca de 650 horas por mês navegando nas redes sociais, 290 horas a mais do que em portais de notícias.

Diante de um consumidor heavy user de conteúdo online e redes sociais, é imprescindível a presença de uma marca no mundo do social media, afinal ser conhecido no bairro onde atua não é mais suficiente para sustentar o público-alvo.

Já dizia Philip Kotler, guru do marketing, que a criação da marca está totalmente ligada ao poder de contar uma boa história com excelência de detalhes.

Como sua marca tem contado a própria história?

Os blogs corporativos e as redes sociais, como Facebook, Linkedin, Twitter, Youtube e Instagram têm se mostrado ferramentas efetivas no compartilhamento de conteúdo relevante e consequentemente agregam valor à marca.

Tornar-se relevante e fonte de conteúdo para o seu público-alvo é uma estratégia assertiva para estar presente no dia a dia do consumidor e ser lembrado no momento de decisão da compra.

Pode parecer complexo, mas não é. De fato, a informação vende mais do que qualquer anúncio.

Veja algumas ferramentas da comunicação que são aliadas no posicionamento online:

  • Assessoria de Imprensa: instrumento da comunicação corporativa utilizada para construir a identidade e credibilidade de uma empresa mediante à imprensa e segmento de atuação. A assessoria de imprensa tem como principal objetivo fazer da marca notícia relevante para os veículos de comunicação e posicionar a empresa como especialista no mercado.
  • Blogs corporativos: inseridos dentro do site institucional da empresa, o blog tem como objetivo gerar conteúdo relevante ao público-alvo, a fim de estabelecer uma relação de proximidade e confiança com o consumidor, além de colocar-se como especialista no segmento e também melhorar o posicionamento orgânico da marca nos buscadores online com estratégias de SEO.
  • Gestão de redes sociais: as redes sociais ampliaram o poder de opinião dos consumidores, o que requer de uma marca estratégia de atendimento ao cliente, geração de conteúdo e ações a fim de estabelecer uma relação de confiança.

Estratégias assertivas de comunicação e marketing colocam a empresa à frente da concorrência, ajudam a driblar o cenário econômico e conquistar espaços tão disputados dentro do mercado nacional.

Invista na sua marca, conte boas histórias!

*Thamiris Rezende é jornalista, especialista em gerenciamento de mídias sociais e diretora de comunicação da agência HUG Comunicação Corporativa

 

 

0

Posted Por em in Uncategorized

*Por Thamiris Rezende

Na última segunda-feira (17), as mídias sociais foram invadidas por um novo viral, o “Já acabou, Jéssica? ”. O vídeo que expõe troca de agressões físicas e verbais entre duas adolescentes ganhou proporções inexplicáveis e esteve entre os assuntos mais comentados do Twitter.

Inevitavelmente algumas marcas aderiram ao viral e geraram o buzz marketing, afinal, está cada vez mais difícil atingir de forma orgânica os consumidores que por sua vez mostram-se mais resistentes aos modelos de propagandas tradicionais nas redes sociais.

De fato, os conteúdos virais são bons aliados das marcas que objetivam posicionamento e aumento da presença no meio virtual, mas para que o aproveitamento desse recurso seja positivo é preciso pré-avaliar e planejar as ações de comunicação.

Antes de entrar na onda e aderir a conteúdos virais, repense os seguintes pontos:

  • O conteúdo infringe normais e leis da sociedade?

As normas e leis têm importância fundamental para garantir direitos e deveres de cada cidadão e, ao contrário do que alguns usuários de redes sociais pensam, a internet não se trata de um campo sem lei. As mesmas normas seguidas na “vida real” são aplicadas no mundo online.

Além disso, todas as redes sociais possuem termos e condições de uso que são apresentados aos usuários no momento da criação da conta. Se a empresa descumprir normas determinadas pela plataforma online, a conta da marca pode ser banida a qualquer momento.

Por isso, nunca poste conteúdos pornográficos, preconceituosos, que incentivem o uso de armas ou drogas, transmitam juízo de valor e que incitem a violência ou maus tratos a pessoas e animais.

Além de correr o risco de ser banida da rede social, a marca terá prejuízos significativos na manutenção e posicionamento da imagem no mercado de atuação.

  • O conteúdo está de acordo com os valores da marca?

Com a expansão e popularização, as redes sociais tornaram-se canais importantes no branding, ou seja, na gestão das marcas.

Por isso, antes de gerar ou compartilhar qualquer tipo de conteúdo nos canais online é preciso analisar estrategicamente se a postagem está de acordo com os valores da empresa e com a imagem que ela quer transmitir ao público-alvo.

Ao disseminar conteúdos que divergem com os princípios sociais e valores, a marca fica sujeita a receber duras críticas dos seguidores, o que pode resultar em uma crise de imagem e perda de audiência.

  • O conteúdo está relacionado à atuação da marca?

Se o viral está dentro das normas e leis e a marca opta por aproveitar do buzz gerado, é preciso analisar estrategicamente como adaptar este conteúdo para o seu público-alvo sem perder o foco no mercado que a marca está inserida.

  • Em qual plataforma é possível promover este conteúdo?

Cada rede social possui uma dinâmica, por isso é preciso analisar dentro do planejamento estratégico de conteúdo em quais plataformas o conteúdo se adequa. Por exemplo: o Linkedin, rede social focada em networking, dificilmente terá a mesma abordagem de conteúdo que a Fanpage, o Instagram ou o Twitter da marca.

  • A marca está preparada para gerir a repercussão do conteúdo?

Mais importante que gerar o conteúdo e aproveitar o alcance orgânico proporcionado por posts virais, é estar preparado para as possíveis reações da sua audiência. Para evitar qualquer reação contrária da esperada tenha domínio do perfil do público que a marca dialoga diariamente.

O buzz gerado pelos virais é muito atrativo aos olhos das marcas, mas é indispensável analisar o cenário, dominar o público e planejar a ação de comunicação para que uma descontração não jogue fora todo o trabalho desenvolvido para o posicionamento de marca.

Gerir crises de imagem é um processo mais complexo e moroso do que alcançar seu público de forma planejada nas redes sociais.

Pense estrategicamente antes de compartilhar, afinal os canais de mídias sociais devem estar alinhados com o DNA da marca.

*Thamiris Rezende é jornalista, especialista em gerenciamento de mídias sociais e diretora de comunicação da agência HUG Comunicação Corporativa

0

Comece seu plano de comunicação agora mesmo!

Não importa para o que você precisa, nós criamos um conteúdo profissional e específico para sua necessidade.